Coisas que você precisa considerar ao reformar a cozinha

A cozinha é considerada o coração da casa! É o espaço onde as refeições são criadas, onde alimentamos nosso corpo, mente e alma, sozinhas ou acompanhadas de nossos amigos e familiares.

Hoje, a cozinha não serve somente para cozinhar, também é espaço de convivência, não à toa as cozinhas integradas estão cada dia mais inseridas nos projetos e nas casas e aptos modernos.


Vou falar por mim: eu amo cozinhas integradas! Desde pequena, a cozinha da casa dos meus pais sempre foi muito usada pela nossa família. Todas as refeições e encontros acabavam sendo feitos na cozinha, mesmo que tivesse apenas uma mesa pra 4 pessoas e um layout completamente desfavorecido, a gente ficava por ali, amontoados mesmo!

Com isso, acabei criando essa ideia e, na verdade, esse desejo de que a cozinha da minha casa precisaria ser um lugar preparado pra essa convivência e assim eu fiz.


Mas, para ter uma cozinha integrada é importante cuidar para que esse ambiente também seja funcional e bonito, já que vai fazer parte de toda a decoração da casa.


A cozinha é também um dos ambientes que mais exigem atenção no planejamento, isso porquê é, essencialmente, um ambiente funcional. Você já parou pra pensar na quantidade de detalhes que exigem a construção ou reforma de uma cozinha? São MUITOS! E, pensando nisso, elaboramos um passo a passo de coisas que você precisa considerar se estiver pensando em construir ou reformar sua cozinha!


O primeiríssimo passo é, obviamente, entender o que você pretende/quer fazer. Quais eletrodomésticos você pretende usar, o que julga extremamente necessário e o que dispensa, o que você gostaria de ter, como gostaria de organizar... entender como você quer que a sua cozinha funcione é fundamental para iniciar esse processo. Uma dica para fazer essa análise é reparar na sua rotina e em como você gosta/não gosta de usar a sua cozinha atual.


Depois de definido tudo que você quer ou precisa é hora de pensar no layout, que nada mais é que a DISPOSIÇÃO de tudo. É definir onde vai cada coisa: a geladeira, a pia, o fogão, a lava-louça... essa fase é determinante para o bom funcionamento da sua cozinha, por isso o ideal é que você tenha ajuda de um profissional.

Mas, via de regra, se a sua cozinha é linear, o ideal é que a sequência seja: geladeira, pia e fogão, como no esquema abaixo.

Já se você tem possibilidade de pensar num layout que não seja linear, considere sempre o esquema da triangulação das cozinhas que é, basicamente, pensar num triangulo imaginário e colocar cada um desses itens (geladeira, pia e fogão) em uma ponta desse triangulo, como nos exemplos abaixo:



Com essas informações definidas você já consegue pensar na parte prática e funcional da cozinha: pontos de água, de esgoto, tomadas para todos os eletrodomésticos, tomadas funcionais para uso diário, ponto de gás. Essa fase também é FUNDAMENTAL. Uma escolha errada que você faz, pode comprometer o uso de um eletrodoméstico, ou até mesmo o uso diário... já pensou que horrível você reformar uma cozinha completa e esquecer de deixar uma tomada para usar liquidificador, air fryer?


Caso você escolha usar filtro de água, lava louças, calha úmida, tudo isso pede uma preparação anterior, como pontos de água, esgoto, tomadas... por isso todas as fases estão interligadas e são dependentes entre si. Você pensa, primeiro, no que vai querer e depois nos detalhes necessários para que aquilo seja possível.


Ainda nessa fase mais estrutural, caso você vá trocar pisos e colocar revestimentos, você também vai precisar pensar em quais materiais usar e como combinar entre si, por isso é importante entender que tudo o que eu estou aqui falando pra você, vai servir como um direcionamento e como uma visão geral dos detalhes que você precisa pensar, mas nada vai substituir a ajuda e orientação de um profissional, direcionada para a sua cozinha.


Ainda assim, o que eu indico para o piso é que seja um porcelanato neutro, em formatos grandes (a partir de 60x60cm) e acetinado. Nada de pisos brilhantes, além de desvalorizar o ambiente a manutenção é horrível, você sempre vai enxergar sujeiras. Para o revestimento, tem muitas e muitas opções e para indicar algum seria imprescindível entender o estilo que mais te define, mas o básico, para não errar: revestimento estilo Metrô branquinho não tem erro! Tem uma base super básica e você consegue combinar com qualquer cor e estilo.



Outro ponto essencial e importantíssimo é a iluminação. Se você tem uma boa iluminação natural na sua cozinha, ótimo! Quanto mais melhor. Caso você não tenha, tá tudo bem, mas você precisa caprichar na iluminação artificial.


Prefira sempre luzes quentes, sempre indico temperatura de 3000K que é quente! Mas, aqui na cozinha (e só aqui) eu ainda aceito a neutra, que tem cerca de 4000K.

O ideal para cozinhas é que a luz seja difusa e se espalhe por todo o ambiente, garantindo uma iluminação completa e própria para cozinhar, com bastante luz. Evite luminárias que fazem sombra, a não ser que seja uma alternativa, juntamente com uma luz difusa.


Sempre que possível, pense numa luz para colocar sobre a bancada. Isso porquê geralmente sobre as bancadas temos armários, que acabam fazendo sombra na principal área da cozinha. Uma solução muito massa são os perfis de led embutidos na própria marcenaria, além de trazer a funcionalidade que a gente precisa (iluminar a bancada), também fica um show a parte.


Ufa, muita coisa né? Isso porquê ainda estou pincelando... cada uma dessas etapas precisa ser minuciosamente pensada.


Bom, sem a bancada não tem cozinha, então vamos falar um pouquinho sobre ela. Vamos considerar que você já pensou em tudo: nos acessórios que vai usar, no layout... então você já sabe qual o formato de bancada você vai querer, agora está na hora de pensar no material.


Mais uma vez, pra essa escolha você vai precisar saber qual estilo de cozinha quer seguir, mas basicamente você tem 3 opções: as pedras naturais, as sintéticas e os porcelanatos. Qualquer uma das 3 opções a gente indica por aqui. As pedras naturais vão se concentrar basicamente nos granitos, já que os mármores são muito porosos e absorvem muito, o que acaba manchando com mais facilidade. Para as pedras sintéticas existem algumas opções como o quartzo, o neolith, dekton... elas tendem a ser opções mais caras, se comparadas às outras.


Já o porcelanato, tem bastante gente que torce o nariz e diz que não funciona, mas confesso que eu uso, indico e nunca tive problemas de nenhum cliente. Mas é claro que o material usado e a mão de obra contratada importam muito!!! Eu já vi muitas bancadas de porcelanato ótimas, como a daqui de casa por exemplo, mas também já vi muita coisa ruim por aí. Mais uma vez: a ajuda de um profissional nessa hora será de grande valia!

Com tudo isso pensado, chegou a hora de pensar nos móveis... caraca, quando você acha que já tem coisa demais, chega na fase dos móveis! Hahaha. Sério, essa fase também exige bastante atenção e cuidado.

Os móveis correspondem a um valor significativo em relação ao projeto todo, cerca de 40 a 50%, por isso quanto mais você se atentar à essa fase, melhor será seu aproveitamento em relação ao investimento.


Aqui tem muitas coisas que você vai precisar considerar e, de novo, obviamente vai precisar saber o estilo para combinar com todo o resto, né? Mas basicamente, você vai escolher os materiais, o desenho, entender se prefere portas de giro, se prefere gavetões... quantas gavetas você vai querer e o que vai guardar em cada espaço... quais acessórios vai usar, qual puxador escolher... são muitossss detalhes.


Aqui, o que eu sempre indico é: prefira gavetões à porta de giro, é mais prático porque assim o que você quer vem até você e não o contrário... sua coluna agradece. Nesse caso você perde um pouco de espaço sim, mas em relação à praticidade é indiscutivelmente melhor.


Quanto às ferragens, para a cozinha sugiro que seja sempre com amortecedor, tanto corrediças, quanto dobradiças, faz toda diferença no dia a dia!


Bom, depois de tudo isso, fica faltando somente a decoração.


Deu pra sentir o drama né? São muitas fases e muitos detalhes importantíssimos em cada fase, mas eu te garanto que se tudo isso for escolhido, pensado e planejado conforme eu te falei aqui, as chances de você ter uma cozinha funcional, bonita e receptiva são muito grandes.


Invista na sua cozinha, mas comece investindo num profissional pra te ajudar em cada uma dessas etapas. Fazer tudo sozinha, pode parecer uma boa ideia no início, mas pode ser o seu maior prejuízo. Com ajuda você reduz seus custos em cerca de 30%, além de poupar muita dor de cabeça por erros bobos!


Bora fazer um planejamento pra tirar sua reforma da cozinha do papel? Conta com a gente, nós podemos te ajudar nessa! :)




15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo